É o fim…

É o fim… (03/09/2016).

Bom meus prezados leitores…

A Viagem chega ao fim.

Foram três anos cuidando do blog. Posso dizer que aprendi muito, mas muito mesmo fazendo-o. Pesquisei, li, escutei bastante sobre a nobre arte e seus métodos e costumes…

Mas principalmente eu fiz muitos, mas muitos amigos.

Não dá pra falar que não me deixa triste, mas acho que a inspiração de continuar escrevendo, resenhando e postando esta acabando. Antes que vire mais uma obrigação que um prazer é melhor parar.

Sendo assim vim até aqui agradecer a cada um que fez parte desse sonho concretizado. A idéia inicial do blog era me ajudar a conhecer o mundo dos pipos e se tornou um elo forte no contato e amizade de muitos confrades.

Alem é claro de poder dizer que hoje sei um pouco mais que a três anos (não que seja muito, mas pra mim saber é primordial).

Então se você esta lendo, leu, comentou, sugeriu, xingou (sim, recebi ate isso inbox), foi entrevistado, mandou uma figura; fica aqui meu enorme e humilde agradecimento. Foi você que fez que isso funcionasse e parte desse meu crescimento é sua responsabilidade. Obrigado!

E meu agradecimento especial á digníssima que sempre apoiou, deu idéias, ajudou, riu e esteve presente nessa grande viagem que fiz, me ajudando a lembrar o que lembrava e parecia com o que e silenciando quando eu precisava pensar…

A casa que sempre foi nossa hoje fecha a porta.

E finalmente vai a cara do escritor do blog, cachimbando.

Abraços confreiras e confrades e mais uma vez o meu muitíssimo

OBRIGADO…

Ps: Não parei de cachimbar e pretendo estar nos encontros quando souber que tem, mas hoje decidi voltar a ser mais um leitor e deixar de ser escritor.

Ps2: Vou deixar alguns meses o blog ativo, mas já não responderei mais comentários e não farei mais posts, até que decida finalmente excluí-lo.

Um forte abraço a todos!

Anúncios

Alemão Escuro


Alemão Escuro – Finamore (20/07/2016).

Dia pessoal; o blog anda meio parado por questões de saúde aqui de casa mas hoje arrumei um tempinho pra vir aqui falar desse tabaco que adquiri.

Tabaco surpreendente, esse Finamore me agradou muito desde a abertura do pouch. Pra falar a verdade, ele me ganhou nesse momento. Eu já tinha lido sobre ele mas não tinha dado atenção e hoje digo que sei porque li bem dele.

Partamos do principio que é um tabaco nacional. Porem a abertura do pouch traz ao nariz um aroma tão forte entre chá e chocolate que é difícil não elogiar.

A composição do mesmo é a padrão. Virginia e Burley. Corte entre Cube e Ribbon, o que imagino que a industria nacional não se preocupe muito, mas é soltinho e fazer o fornilho é fácil.

Acender o mesmo é simples, uma batida de isqueiro ou fósforo e ele esta queimando.

Falando da fumada. Levando em consideração que é um tabaco nacional, como disse; é agradável.

O sabor de chocolate é predominante até o meio do fornilho, quando some e deixa só sabor de Virginia, não aqueeeele Virginia, mas um sabor legal, com residual do aroma inicial.

Dura bem, não demasiadamente nem queima rápido. E deixa aquela cinza escura e compacta.

É um tabaco para fumar devagar. Se apressar ele queima a língua e embarga a garganta, a nicotina do mesmo é mediana mas para um tabaco nacional eu realmente achei ele muito, mas muito bom. É claro que esta a anos de comparação com um importado, mas considerando que minhas opções de nacional estavam entre o Irlandez (que quase todo mundo gosta), os Blends (que a maioria xinga) e os HiTobacco (que estão virando febre) é uma alternativa em aromático.

Deixo a nota que comprei ele numa tabacaria dessas de bairro, na rua Vergueiro por um preço bem baixo mas que sinceramente enquanto durou me deixou bastante satisfeito.

Nota 7 dos aromáticos nacionais. Acreditem, recomendado!

Abraços.

Special Reserve 2014

Special Reserve Limited Edition 2014 – Peterson (11/05/2016).

Segundo Special Reserve que fumo. E peguei gosto por esses tabacos.

Me parece que as edições comemorativas da Peterson tendem a ser melhores que os tabacos aromáticos da marca (quem acompanha o blog sabe porque falo isso).

Diferente da SR2013, este aqui é composto de Burley e Virginia e tem a intenção de aroma de amora preta.

Pontuando; a lata é tão bonita como a da SR2013 e vem no mesmo sistema não hermético com pouch dentro. O tabaco desta vez é mais sóbrio e escuro, passando mais uma imagem de seriedade e combinando bem com a lata.

Enfim, mais um tabaco que ficou fechado mais de um ano e olhem, valeu a pena.

O aroma dele é aquele característico frutal dos tabacos aromáticos da Peterson.

Ele é beeeem solto, e bem úmido também; mas isso não faz com que se torne difícil de acender (em bastante contraste com o SR2013), pega fácil e rápido.

A fumada… Bem, é um espetáculo a parte. Como já dita a composição, ele traz inicialmente uma enchente de aroma que lembra frutas cítricas mas o Virginia faz um fundo absurdo de bom.

Esse aroma vai dando o tom da fumada ate o 2/3 do fornilho. Daí em diante o Virginia assume tudo e só fica o sabor dele e de sua qualidade ate o fim, encerrando com aquela cinza branca e fininha de tabacos de qualidade.

Em momento algum ele pegou na língua ou mordeu. Eu acelerei, fumei devagar, acendi com fósforo e isqueiro e nada muda a característica desse tabaco.

E vem com 100 gramas! Isso é pra deixar realmente feliz!

Recomendo demais esse aromático. Nota 8 dos importados e realmente uma edição comemorativa de qualidade.

Só uma coisa, o sabor dele me lembrou bastante o SR2013 de frutas vermelhas porem um pouco mais cítrico.

Sendo assim usarei a mesma figura para encerrar o post… A impressão passada é a mesma de frutas no sol…

Abraços!